O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) deve votar nesta terça-feira (12) o relatório que pede a cassação do deputado Arthur do Val (União Brasil).

A abertura do pedido se deu após o vazamento de áudios considerado sexistas sobre mulheres ucranianas.

O texto, de autoria do deputado estadual Delegado Olim (PP-SP), será lido em sessão marcada para as 14h. Além do relator, o Conselho de Ética conta com outros oito membros efetivos.

O colegiado deverá votar o relatório também nesta terça. Em caso de decisão pela perda de mandato, seja ela temporária ou permanente, será necessária a aprovação da Mesa Diretora da Casa. E, na sequência, o caso segue para o plenário da Alesp, onde será necessário o voto da maioria dos deputados para que Arthur do Val perca o cargo.

Relembre o caso

Na tarde de 5 de março deste ano, áudios atribuídos a Arthur do Val viralizaram na internet. Neles, o parlamentar diz, entre outras coisas, que ucranianas são fáceis porque são pobres.

O conteúdo foi divulgado com exclusividade pelo portal Metrópoles. Nas mensagens, ele também teria dito que a fila da baladas brasileiras “não chega aos pés da fila de refugiados aqui”.

“Vou te dizer, são fáceis, porque elas são pobres. E aqui minha carta do Instagram, cheia de inscritos, funciona demais. Não peguei ninguém, mas eu colei em duas ‘minas’, em dois grupos de ‘mina’, e é inacreditável a facilidade”, diz Arthur, que estava na condição de pré-candidato ao governo de São Paulo e contava com apoio do ex-juiz Sergio Moro (União Brasil).

Em outro trecho, o parlamentar cita ‘fila das refugiadas’, com declarações consideradas pejorativas sobre as mulheres.

“Só vou falar uma coisa para vocês: acabei de cruzar a fronteia a pé aqui, da Ucrânia com a Eslováquia. Eu juro, nunca na minha vida vi nada parecido em termos de ‘mina’ bonita. A fila das refugiadas… Imagina uma fila sei lá, de 200 metros, só deusa. Sem noção, inacreditável, fora de série. Se pegar a fila da melhor balada do Brasil, na melhor época do ano, não chega aos pés da fila de refugiados aqui”, teria dito Do Val.

Ouça o áudio:

Cenário de tensão

Com histórico de brigas e desentendimentos, Arthur do Val (Podemos) não conta com muitos aliados no momento para lidar com o processo de cassação. Uma apuração feita pelo Conexão Política evidencia o alto nível de rejeição do parlamentar.

Diversos deputados, de esquerda, centro e direita, continuam com o posicionamento de exercer o afastamento de Arthur. Com isso, o movimento desta terça-feira pode criar uma grande onda — desde aliados de Jair Bolsonaro (PL) a petistas e tucanos contra o ex-integrante do Movimento Brasil Livre (MBL).





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.